Press "Enter" to skip to content

Psicologia – Baixa auto-estima

Ego e Identidade

Um aspecto do sofrimento emocional é uma profunda sensação de carência, de incompletude, de não se sentir inteiro.

Em algumas pessoas isso é consciente, em outras, não.

Quando está consciente, a pessoa tem uma sensação inquietante de que não é respeitada ou boa o bastante.

Na forma inconsciente, essa sensação se manifesta indiretamente como um anseio, uma necessidade ou uma carência intensa.

Em ambos os casos, as pessoas podem acabar buscando compulsivamente uma forma de gratificar o ego e preencher o vazio que sentem por dentro. Assim, empenham-se em possuir propriedades, dinheiro, sucesso, poder, reconhecimento ou um relacionamento especial, para se sentirem melhor e mais completas.

Porém, mesmo quando conseguem todas essas coisas, percebem que o buraco ainda está ali e não tem fundo. As pessoas veem, então, que estão realmente em dificuldades, porque não podem mais se enganar.

Na verdade, elas continuam tentando agir como antes, mas isso se torna cada vez mais difícil.

Enquanto o ego dirige a nossa vida, não conseguimos nos sentir à vontade, em paz ou completos, exceto por breves períodos, quando acabamos de ter um desejo satisfeito.

O ego precisa de alimento e proteção o tempo todo. Tem necessidade de se identificar com coisas externas, como propriedades, status social, trabalho, educação, aparência física, habilidades especiais, relacionamentos, história pessoal e familiar, ideais políticos e crenças religiosas.

Só que nada disso é você.

Mais cedo ou mais tarde, você vai ter que abrir mão de todas essas coisas. Pode ser difícil de acreditar, queira ou não a sua identidade não está em nenhuma dessas coisas. Você vai conhecer por si mesmo a verdade, lá no fim, quando sentir a morte se aproximar.

Morte significa um despojar-se de tudo o que não é você.

O segredo da vida é “morrer antes que você morra” – e descobrir que não existe morte.

Autor: Eckhart Tolle | Imagem: Fonte

CompartilheShare on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someone

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *